Orkut - De Sírius Facebook - De Sírius Twitter - De Sírius YouTube - De Sírius Flickr - De Sírius
Language: English | Idioma: Inglês Idioma: Português Brasil | Language: Portuguese Brazil

Como funciona o processo de transformação capilar? Qual ativo escolher?

Por Sabrina Rosa*



Um dos trabalhos mais pedidos nos salões de beleza é a transformação capilar, que vai desde reduzir o volume a alisar os fios. A transformação é um processo químico que pode ter um resultado fantástico ou tenebroso, dependendo do conhecimento do profissional.
A transformação capilar atua nas ligações de dissulfeto (ligação entre dois átomos de enxofre, formados principalmente entre aminoácidos e cisteína) do cabelo, modificando sua estrutura. Por isso, há cuidados que devem ser tomados em sua aplicação como diagnóstico adequado, teste de mecha e tempo de pausa, por exemplo.
Os produtos que podem fazer esta transformação são à base de Hidróxidos ou Tioglicolatos. Os Hidróxidos (sódio, cálcio, potássio, lítio) quebram as ligações de dissulfeto, não são residuais e necessitam ser acidificadas. Já os Tioglicolatos (amônia, etanolamina e ARGININA), desligam as ligações de dissulfeto, são residuais e necessitam ser neutralizadas.
Os Tioglicolatos são formados pela mistura do ÁCIDO TIOGLICÓLICO, com um composto alcalino. Os compostos alcalinos mais utilizados são:
• Hidróxido de amônio + Ácido tioglicolico = TIOGLICOLATO DE AMONIA
• Etanolamidas + Ácido tioglicólico = TIOGLICOLATO DE ETANOLAMINA
• E o mais inovador, a ARGINIA, que é um AMINOÁCIDO e forma o TIOGLICOLATO DE ARGININA.

Abaixo seguem as principais diferenças entre Hidróxidos e Tioglicolatos:
Hidróxidos (sódio, cálcio, potássio, lítio)
1. Quebram as ligações de dissulfeto. O processo de alteração da estrutura capilar se dá através da tração mecânica em que o cabelo é submetido com o Hidróxido reagindo no fio.
2. No teste de mecha quando o fio amolece demais o hidróxido já agiu em excesso.
3. Não são residuais. Quando um produto não é residual significa que a sua remoção é feita com água, não sendo necessário um agente especifico para cessar o processo.
4. Necessita ser acidificado. Os hidróxidos, em função da alta alcalinidade, dilatam desestabilizando os fios sendo necessário após a remoção do produto um tratamento ácido feito através de shampoos e cremes.


Tioglicolatos (amônia, etanolamina e ARGININA)
1. Desligam as ligações de dissulfeto. A estrutura capilar reage com o Tioglicolato no fio, amolecendo as ligações e deixando o cabelo livre para adquirir uma nova forma que pode ser lisa ou crespa dependendo do objetivo a ser alcançado, que é modelado após a remoção do produto com água e a seguir é dada a nova forma que só é fixada após a neutralização.
2. No teste de mecha, quando o fio amolece é que as pontes estão cedendo e será avaliado o tempo máximo de elasticidade que o fio cederá sem perder sua integridade.
3. É residual. A reação química do Tioglicolato só para quando o cabelo é oxidado com Peróxido de hidrogênio ou Bromato de sódio, que são os agentes neutralizantes.


O resultado final de ambos os processos depende do diagnóstico correto e tempo de aplicação estabelecido no teste de mecha.



* Bióloga por formação e cosmetóloga por vocação. Possui especialização em vários segmentos da área química. Há mais de 10 anos está à frente da De Sírius Cosméticos como Diretora Industrial.